10 de agosto de 2010

Fanatismo



O QUE É O FANATISMO?


Olhando lá no dicionário Aurélio o que significa fanatismo agente vai encontrar que se trata de alguém que acredita e segue cegamente alguma doutrina.

Bom, você com certeza já viu ou ouviu falar de algum fanático, antigamente agente achava que só era fanático aqueles evangélicos que eram vidrados na religião e tentavam impor a sua conversão. Mas se percebermos sempre existiu fanático e por diversas outras coisas, como por exemplo pela política, por algum artista, por amar demais alguém ou um objeto e por viver pelo seu time de futebol, que é o exemplo que eu vou usar aqui hoje mais adiante.

Um fanático é aparentemente uma pessoa normal, mas pode ser explosiva e até mesmo cometer atos impensados em certas situações para defender a sua “verdade”, pois ele está tão apegado com sua ideologia que só aquilo para ele basta, não enxergando outras coisas em volta como, por exemplo, o próximo, a individualidade do próximo. Acredito que isso tenha acontecido com Hitler, ele não respeitou a individualidade do próximo por serem diferentes, acreditarem em coisas diferentes, eu li uma vez que ele foi considerado um fanático, ele tinha uma forte ideologia e muita inteligência para arquitetar todo o seu plano contra os judeus e ele viveu praticamente para isso.



Hitler foi um exemplo, outro exemplo bem conhecido entre nós brasileiros são os torcedores de times de futebol, veja que eles agem “com” o time, defendem o time, vivem com e para o time e se o time perde/vence é motivo para tristeza incontrolável, brigas na porta de estádios (detalhe, eles nem fazem parte do time propriamente dito). O futebol, ou melhor dizendo, o time começa a tomar tanto a vida do sujeito que ele começa a se denominar O palmeirense, O corinthiano, o perfil no orkut está “Zé Flamenguista” ao invés de “Zé da Silva”. Chega a virar referência: - Hei você conhece o Zé? - Que Zé? - O Zé são paulino -Ah conheço
.


Mas o que fez o Zé chegar a esse ponto? O que o deixou (como dizem) “roxo” pelo time? Você sabe a resposta, o excesso. Tudo o que extrapola e passa dos limites certamente não faz bem. E as coisas passaram do limite para o Zé quando o saudável “torcer” começou a ter mais importância do que outras coisas na vida dele, o time tornou-se uma essência da sua personalidade.

O fanático pode muitas vezes passar por situações de discriminação, as pessoas podem começar a evitá-lo porque fala e mostra extremo interesse por alguma coisa que para ele é essencial, porém pode ser insignificante para a pessoa com quem esteja conversando.

Agora imagina o Zé falando sem parar 40 minutos sobre as conquistas do seu time do coração? Ninguém merece não é?! A menos que você esteja num estádio de futebol com o Zé e queira conversar sobre futebol com ele, caso não queria não seja mal educado com o Zé, seja paciente, nada de destratá-lo, tenha jogo de cintura e tente se esquivar da situação e sair da conversa, mudar o assunto. Nada como a sutileza e educação para lidar com qualquer tipo de pessoa e situação.
Dica dada!

PS: Esclarecendo que o que foi escrito aqui é a minha opinião baseada no dia-a-dia e nas fontes da web. Não sou psicóloga nem nada, se necessita de ajuda, procure um profissional de saúde. As opiniões aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Fontes pesquisadas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fanatismo
http://www.espacoacademico.com.br/017/17ray.htm
http://www.brasilescola.com/filosofia/fanatismo.htm
http://1001gatos.org/como-debater-com-fanaticos-i/

Um comentário:

  1. essas coisas são complicadas mesmo, eu sou fã de várias coisas, pessoas e tals...mas fanatismo já é mais sério!
    bom post!
    Beijoo :*

    ResponderExcluir

Gostou? Odiou? Comente aqui:

www.flickr.com
Itens de evelyncmo Vá para evelyncmo galeria